segunda-feira, 29 de maio de 2017

Livros de Saul Steinberg


Saul Steinberg & Saul Steinberg. - Fotografia por Evelyn Hofer

  • All in line
O título mais do que direto e emblemático batiza a primeira publicação reunindo desenhos do pioneiro ilustrador romeno. O exemplar que possuo, amarelado e meio surrado, é uma primeira edição. Também, o que esperar de um volume que estava rodando por aí desde 1945, tendo, inclusive, viajado o mundo: dos Estados Unidos ao Brasil? No geral, está OK. Tenho muito carinho por esse livro. Para quem gostar de arte - em especial, desenhos - vale conferir o vídeo abaixo e, na internet, pesquisar mais acerca dos trabalhos desse consagrado artista gráfico da mítica New Yorker! Destaco que a maioria das ilustrações presentes nesse livro foram originalmente publicadas justamente nesta revista; sete delas, na publicação P.M. e uma na Mademoiselle. Dá para notar que, inicialmente, sua arte era mais figurativa e, com o tempo, foi-se tornando conceitual. É interessante observar essa evolução no trabalho de um artista.

  • Todo en lineas

No vídeo, mostro um pouco do livro mencionado na matéria anterior, quando falei da revista serrote n.º 01. A edição Todo En Lineas da Editorial Abril é do mesmo ano que a americana All In Line, e segue os rigores da publicação gringa: mesma capa dura com tecido, idênticas sobrecapas e no formato 23,0 x 29,6 cm. O livro hermano foi editado, originalmente, com quatro lâminas em seis cores; desconheço se o volume americano também possuía esses mimos. Até o papel do miolo é similar entre as duas edições. A única diferença é a ordem de alguns desenhos, que - sabe-se lá a razão - foram reordenados em algumas páginas pela Editorial Abril, além de incluir, em sua versão, um texto introdutório escrito por Conrado Nalé Roxlo. Alguns desenhos tiveram tradução de grafias integradas à arte, a começar pela capa ("ink", "tinta"), sem a informação de qual artista ou equipe ficaram responsáveis por essas alterações. Tive sorte de encontrar All In Line e Todo En Lineas em bom estado, por preços irrisórios. Ainda vi uma edição de Todo En Lineas com a sobrecapa e as lâminas coloridas por algo em torno de R$ 1.000,00 (fora de meus padrões financeiros). Mas, para um fetichista com bastante grana sobrando, certamente seria um deleite ter a edição impecável na estante. 

  • The Passaport
The Passporte é a reunião de trabalhos onde Saul Steinberg “deitou e rolou”, na definição de Ziraldo. Na orelha do livro, encontramos a seguinte advertência acerca de alguns temas abordados no exemplar: documentos falsos, passaportes, certificados, diplomas, falsa fotografias com falsos autógrafos, vinhos com rótulos falsificados, assim como outras bebidas, falsos ex-votos, caligrafia e cacografia. Além disso, há ainda: impressões digitais, paradas, coquetéis, palmeiras, gatos, passeadores de cães, locomotivas, pontes e estações. E mais: arquitetura vitoriana e art nouveau, bem como notas de viagens pelo oeste europeu, Palm Beach, Manaus e Hollywood.

The Passaport, em resumo, é um portfólio de boa arte difícil de digerir. E o mais legal nessa obra é empreender horas e horas em cada desenho, procurando sempre algo e descobrindo muito mais do que se esperava. A temática principal da obra é a burocracia e os excessos protocolares, patenteados com carimbos e brasões excessivamente ornamentados e assinaturas pomposas. Estas últimas, por sua vez, únicas e gigantes, maiores e mais importantes que seus próprios autores cujas faces são indefinida.

Demorei bastante tempo atrás dessa obra do artista romeno que faleceu como o maior cartunista da História. E ela me caiu nas mãos a preço de banana, em ótimo estado, com miolo perfeito (papel de elevada qualidade), em sua conservada capa dura com tecido. O único “porém” foi a sobrecapa um pouco danificada. Mas o que esperar de uma primeira edição de The Passport há seis décadas circulando por aí? Fiquei satisfeito. Um grande livro, publicado em 1954 pela Harper & Brothers, Publishers, em New York. Em geral, vejo essa primeira edição sendo vendida por mais de US$ 250,00.

A seguir, vídeo onde mostro com mais detalhes as obras acima mencionadas e dois livrões que, talvez, abordarei aqui mais à frente; são eles:
  • Saul Steinberg de Harold Rosenberg
Editado por Alfred A. Knopf, 1978
em associação com Whitney  Museum of American Art
Capa dura com sobrecapa
262 páginas no formato 28,0 x 28,0 cm
  • The Inspector de Saul Steinberg
The Viking Press, New York, 1973
Capa dura (tecido), com sobrecapa
Formato 25,0 x 28,0 cm


Livros de Saul Steinberg por kleiton-alves

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O comentário aqui é anônimo e não moderado. Contudo, pense bem se vale a pena perder seu tempo postando alguma ofensa gratuita.