segunda-feira, 6 de março de 2017

Bitcoin ou prata



No início deste mês a prata esteve pouco acima de US$ 18,00 a onça troy (31,103 gramas). Bom? depende. Para mim, isso é um tapa na cara dos mineradores, especialmente nos que se dedicam a minerar prata como finalidade principal. Na prática, quase 70% de toda a prata que maciçamente consumimos em emprego industrial vem como subproduto da mineração de outros metais, como, por exemplo, cobre e chumbo.

Ninguém quer mais investir na mineração direta, pois o contrato no mercado de futuros jogou o preço da onça no lixo, vendendo a descoberto (venda fictícia, sem ter a prata física) mais de 80x (sim, oitenta vezes) o que se pode realmente obter. E o trabalho de recuperação de metais não é barato, para reciclar o metal. A ganância do mercado financeiro - especialmente dos mandachuvas do COMEX - é voraz e sem limites. Acredita-se que em torno de duas décadas não haverá mais prata suficiente para emprego industrial: condutor elétrico e térmico, refletor, catalisador entre tantas aplicações.

Além do quadro acima, os indianos estão proibidos de adquirir ouro desde o recente golpe do Governo contra a rúpia. Para quem não sabe, as notas de 500 e 1000 rúpias foram retiradas de circulação sem aviso prévio, do dia pra noite, dentro de um país onde apenas 30% da população confia no sistema bancário. População, salvo engano, de mais de 1,2 bilhões de seres humanos que foram massacrados pelo governo "socialista de castas(!)" e os amigos banqueiros. Isso tornou as pessoas ainda mais descrentes na moeda fiduciária e, agora, estão alocando muita grana e patrimônio em prata e bitcoins.

Para quem for esperto, essa manobra dos governos e instituições financeiras contra a prata é um favor. Você pode tirar proveito disso mantendo alguns quilogramas do metal em casa. Dá para comprar bem barato, ainda, até mesmo como junk silver e barras "feias" de prata industrial. Esses dias comprei 01 (um) quilograma de moedas brasileiras por R$ 2.000,00. A prata nos lingotes é torno de 900 (grau de fineza razoável) e quase metade ainda é viável para fins numismáticos. Então foi um bom negócio. Outra opção é o bitcoin. O preço subirá cada vez mais, mesmo com governos como o chinês começando a "visitar" mineradoras e exchanges. Acredito que o bitcoin nunca será a moeda digital do planeta, a moeda da internet ou a "internet do dinheiro" (como dizem por aí). Mas já é uma commodity eletrônica consolidada e a melhor forma de transferir recursos entre nações com rapidez e a custo irrisório.

No meu caso, estou com a prata. Mas bitcoin é uma boa. Também acredito no futuro do Litecoin que, hoje, está a R$ 12,29.

É isso. Abraços e até a próxima. 



4 comentários:

  1. Além de tudo, a prata tem uma vantagem estética que só perde para o ouro.

    Abc!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Scant, ainda acho a prata mais bonita. É o metal que proporciona o melhor reflexo de luz do planeta, salvo engano. Contudo, com o tempo, a oxidação natural da prata retira um pouco disso. Já o ouro, mantém o brilho para sempre, mesmo que durante séculos exposto a sol e à chuva!
      Abraços!

      Excluir
  2. Onde Você compra as "barras feias" de prata industrial? Elas tem o mesmo teor de pureza da onça troy?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Apenas de vendedores particulares.
      Quanto à pureza, a onça troy é uma medida (pouco mais de trinta gramas). Não tem relação com pureza.
      Vc pode comprar uma onça troy de barra de prata com vários graus de pureza. No meu caso, seja uma barra com menos ou mais do que a onça, sempre compro prata com 999 ou 9999 pura prata. Aí vc tem que confiar no vendedor, ter um pouco de conhecimento e fazer testes, se possível.
      As que tenho são todas de elevado teor de pureza: 999. Já a 9999 encontro apenas em algumas moedas estrangeiras.

      Excluir

O comentário aqui é anônimo e não moderado. Contudo, pense bem se vale a pena perder seu tempo postando alguma ofensa gratuita.