domingo, 26 de fevereiro de 2017

Vida e Obra de Terêncio Horto, livro de tirinhas de André Dahmer



Gosto, cada um com o seu. Isso também se aplica aos leitores de quadrinhos, obviamente. Há gente que só lê revistas infantis, Disney ou Turma da Mônica. Outros, são mais radicais: ou ficam com os personagens disneyanos ou, então, apenas com as criações de Maurício de Sousa. Às vezes, o sujeito evolui e amplia seu leque de leitura, especialmente com o gênero heróis. Neste, é pouco provável que saia do mainstream "marvete" e "decenauta". Noto que a esmagadora maioria de entusiastas da nona arte fica mesmo no feijão com arroz, por várias razões. Quase sempre, por mera falta de vontade em pegar algo novo, em apostar numa nova linha de ficção. Também reconheço a falta de mais publicidade e divulgação em bancas de revistas, por exemplo. É uma pena, pois há bastante material independente de elevada qualidade sendo editado - vendido diretamente com artistas ou em pequenas editoras. Também existe uma produção menor - embora não independente -, encampada por grandes editoras nacionais, onde vale a pena apostar uma grana. O selo Quadrinhos na Cia, por exemplo, põe vários álbuns à venda, quase sempre bons ou ótimos. É um desses álbuns que indico, agora.

Vida e Obra de Terêncio Horto, livro de tirinhas de André Dahmer, é peculiar no formato e conteúdo. As dimensões: 13,5 x 20,0 cm. Tenho uma penca de livrinhos assim, neste formato. São bacanas, legais para folhear e ótimos para publicar tiras. O problema é apenas na hora de guardar. Sempre acabam jogados em brechas sobre os livros na estante. Quanto ao conteúdo, nos dá as famosas histórias publicadas pelo autor na internet: os desenhos dos quadrinhos são praticamente os mesmo, com pontuais exceções. A atração fica a cargo do humor ácido e esperto (quase negro) de Dahmer. Tirinha, para mim, é isto: 90% boas sacadas; 10% arte. Como vocês podem notar nas imagens abaixo, o autor não tem muito trabalho em arranjar novas ilustrações. São meia dúzia de posições com Terêncio Horto escrevendo em sua máquina. Poucas vezes - em momentos de flashback -, há uma imagem diferente, com cores se destacando.

Terêncio Horto é um escritor frustrado, que aparentemente já teve seus dias de glória, mas que passa quase todo o restante de sua vida datilografando romances e memórias. Esses momentos são o veículo do autor para expor suas impressões pessoais acerca do mundinho de artistas (especialmente escritores), demais intelectuais, velhos ripongas hoje civilizados, habitantes de Facebook e o estranho admirável mundo novo digital onde vivemos. Os quadrinhos quase imutáveis são o veículo para destilar amor e fel sobre nosso comportamento. O nome do personagem é uma ligeira homenagem a Terêncio Porto, penso. E, pelo que já vi por aí, alguns malucos de internet já andaram "informando" que esta obra de Dahmer seria um plágio de Peanuts (de Charles Schulz), só porque o Snoopy costuma aparecer, em algumas tiras e nos desenhos animados, datilografando cartas e romances empinado na sua casinha. Não consigo supor de onde retiraram essa ideia de plágio!

A edição da Quadrinhos na Cia, como sempre, é boa, caprichada. Brochura com mais de 250 páginas no excelente pólen bold. Merecia orelhas, para evitar aquele desgaste nas bordas, popularmente conhecido como "orelha de burro". Além disso, desperdiçou espaço imprimindo somente uma tira por página. Dariam duas com bom aproveitamento, economizando papel e reduzindo o preço. Seria uma atitude mais ecológica e, ainda, econômica. Ainda desperdiçaram mais páginas com "pausas" entre conjuntos de tirinhas. Pra quê tanto papel jogado fora, ainda mais em tempos de "salve o meio ambiente"? Apenas puro oportunismo do mercado editorial, creio. Uma pena.

Minhas impressões gerais acerca da produção quadrinística de André Dahmer já foram expostas em postagem anterior. Ainda continuo recomendando livros do autor, em especial, pelo repúdio à linguagem do politicamente correto imposta a fórceps pela atuação de diversas Secretarias odiosas criadas por nosso Governo. Dá para comprar essa antologia por menos de R$ 40,00 em vários sites. Dê uma chance à produção nacional de HQs mais maduras. Vamos diversificar a estante e regar a cabeça dura com novas ideias e outras formas de arte.

Abraço a todos. Até a próxima.


Livros e HQs de André Dahmer por kleiton-alves




Nenhum comentário:

Postar um comentário

O comentário aqui é anônimo e não moderado. Contudo, pense bem se vale a pena perder seu tempo postando alguma ofensa gratuita.