segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

Status Humor [ Livros, Cartuns ]



Não acompanhei o sucesso da revista masculina Status, pois era muito jovem quando ela encerrou suas atividades pela primeira vez. Quando passei a me interessar por mulher pelada, as revistas mais facilmente encontradas eram Sexy Playboy. Via algumas edições surradas de Status em sebos e nas residências de pessoas mais velhas. Só que nunca me atraíram tanto. Sei de sua trajetória mais em razão de pesquisas na internet e em razão do suplemento Humor, onde bons cartunistas de todo o mundo tinham vez. Em abril de 2011, a editora Três (a mesma que editava a publicação nas décadas áureas de '70 e '80) apostou, novamente, no título. Até onde reparei, é, agora, algo voltado mais à sugestão erótica do que ao nu feminino total.

Os suplementos de humor da Status não demoraram a ser compilados no formato livro. Além disso, essas edições traziam bastante material inédito. A ênfase era a produção de autores nacionais, franceses e argentinos. Dentre os nacionais, encontramos desde medalhões como Millôr e Jaguar a outros que sumiram do mapa sem deixar muitos rastros - a não ser uns poucos desenhos. Dos argentinos, destacam-se Quino (certamente) e Fontanarrosa. Encontramos ainda grandes nomes como Sempé, Pat Mallet e Anscomb. E os livros são bem organizados, com divisão por artistas com uma breve introdução sobre seus trabalhos e trajetória. A maioria dos cartuns possuem teor erótico, mas nunca pornográfico, e se revesam entre coloridos e P&B, numa ótima impressão em razão da qualidade elevada do papel. A capa dura, sem dúvidas, ajudou consideravelmente na preservação do material.

Sempre quis alguns desses volumes. Mas só encontrava material em péssimo estado e por preços absurdos. Até que, há pouco tempo, achei para venda cinco edições, cada uma por R$ 14,00 e em ótimo estado. O único problema foi um dos livros com a lombada avariada na parte superior. Mas nenhum item tem páginas rasgadas ou riscadas e as marcas de oxidação são mínimas. São aqueles tesouros que descobrimos entre as tralhas de alguns livreiros.





Nenhum comentário:

Postar um comentário

O comentário aqui é anônimo e não moderado. Contudo, pense bem se vale a pena perder seu tempo postando alguma ofensa gratuita.