segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Morte, a Festa - um estranho mangá do universo Sandman [ HQ, review ]


Imagem de meu exemplar.

Meu primeiro contato com o trabalho de Jill Thompson foi em Sandman de Neil Gaiman. Essa excelente ilustradora - esposa do escritor Brian Azzarello - foi responsável por diversos capítulos da obra. No arco Fábulas & Reflexões, a história Parlamento das Gralhas (capítulo n.º 40 de Sandman) nos deu - acredito - a primeira concepção "alternativa" dos Perpétuos, com versões "baby" de alguns membros da família. Após, ela lançou o conto ilustrado Pequenos Perpétuos, ampliando a versão fofinha e infantil dessas entidades. Infelizmente, esse conto foi lançado aqui apenas uma vez, pela Brainstore no ano de 2001; e deve ter tido uma tiragem pequena, diante da dificuldade em encontrá-lo à venda em sebos. Em 2004, a Conrad publicou a visão "mangalizada" de Jill Thompson para o universo criado por Neil Gaiman. A HQ Morte - A Festa aborda o fenômeno mostrado no arco Estação das Brumas, quando, após Lúcifer fechar o inferno e entregar as chaves a Morpheus, mortos retornam ao plano físico, criam uma bagunça dos diabos e dão o maior trabalho à irmã Morte. No mangá, as outras irmãs Delírio e Desespero resolvem dar uma festa para os mortos, demônios e entidades variadas; mas escolhem o apartamento de Morte para isso, cujo trabalho já anda de pernas para o ar em razão do "locaute" no inferno. Não sou grande fã de mangá, exceto por pouco títulos. Mas comprei e gostei dessa edição. O trabalho de Jill Thompson foi simples e inteligente. Seu objetivo é apenas divertir, sem a pegada filosófica que permeia a obra prima de Gaiman. Dessa mesma autora, também queria Pequenos Perpétuos, mas está praticamente impossível conseguir um exemplar, ainda mais em bom estado e a preço justo. Como dá para notar nas imagens abaixo, a obra foi publicada em formato mangá (formatinho 12,5 x 19 cm), em P&B. O papel do miolo é bom, tipo offset, e a capa cartonada possui orelhas. O gibi tem 218 páginas. Para quem gostou do universo Sandman, recomendo. Acho que é o único mangá com o selo Vertigo estampado na capa.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

O comentário aqui é anônimo e não moderado. Contudo, pense bem se vale a pena perder seu tempo postando alguma ofensa gratuita.