terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

HQs de Danilo Beyruth


Imagem de minha coleção.

Muita gente que não acompanha quadrinhos fora do mainstream (DC, Marvel, Disney, MSP, mangás etc.) passou a se interessar pelo trabalho de Danilo Beyruth após sua Astronauta Magnetar, a primeira HQ do novíssimo selo Graphic MSP, onde autores nacionais, alheios aos estúdios de Maurício de Sousa, dão sua visão (releitura) dos personagens da Turma da Mônica. Já falei acerca desse ótimo gibi aqui no blog (dê uma conferida). Para aqueles que ainda não conhecem outros trabalho de Danilo Beyruth, recomendo dois álbuns que tenho prazer e orgulho em ter na coleção: Bando de Dois e Necronauta - O Almanaque dos Mortos, ambos editados pela Zarabatana Books. Retirei algumas fotografias para ilustrar essa postagem e possibilitar aos leitores uma visão da qualidade das publicações (brochuras com capa cartonada, mas com ótimo acabamento, sendo Necronauta impressa em papel cuchê e Bando de Dois em papel tipo offset).

Em Bando de Dois, o cangaceiro Tinhoso, após sobreviver a uma emboscada da volante do Tenente Honório, sonha com o bando recém massacrado pedindo por liberdade. Junto com ele, Cavêra di Boi, outro membro do bando, escapa. Devido a esse sonho, os dois saem em busca das cabeças cortadas pelo Tenente – embora fiquemos sabendo que a motivação de Cavêra é outra. No pequeno povoado de Nova Nazaré, uma população vive à míngua em volta da igreja, apoiada na crença de uma revelação, guiados por um Padre messiânico. Esse é o mote para o desenrolar de um bangue-bangue sertanejo, que explora a violência, marginalidade e fé de uma árida região brasileira. Com o mesmo tema de cangaço que Estórias Gerais (escrita pelo acadêmico Dr. Wellington Srbek e ilustrada por Flávio Colin), esta HQ é uma magnífica história.

Necronautaé uma brincadeira bem sucedida, sobre um "herói" cuja função é resgatar almas presas ao plano terreno, encaminhando-as para a "luz"; ou seja: ao descanso eterno. Ele não é o único nessa função. Na última história de Almanaque dos Mortos, conhecemos diversos "necronautas" (com outros nomes, claro) com especialidades específicas de resgate. Além das HQs, diversos artistas contribuíram para a obra com pin-ups, como no exemplo da primeira fotografia abaixo. Por se tratar de um "almanaque", também há passatempos macabros, simples e divertidos. Um gibi bacana!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O comentário aqui é anônimo e não moderado. Contudo, pense bem se vale a pena perder seu tempo postando alguma ofensa gratuita.